\r\n\r\nAcabaram de chegar as mais recentes aquisições para a minha biblioteca caseira de comunicação e marketing! Numa altura em que o rendimento disponível das famílias diminui é normal que deixe de haver dinheiro para coisas tão básicas como os livros que não sejam os manuais escolares.\r\n\r\nExistem as bibliotecas públicas, comunidades de trocas de livros e mesmo exemplares emprestados pelos amigos para contornar essa questão. Cada vez mais, à medida que os governos desinvestem no ensino, temos de ser nós a tomar as rédeas da nossa educação (e dos nossos). Esse investimento de tempo e dinheiro terá frutos no futuro, não só na esfera profissional.\r\n\r\nPrefiro comprar livros do que comprar outras coisas, porque os encaro como bem essencial – comida para o cérebro. Tendo em conta os poucos hábitos de leitura dos portugueses, nem todos o farão. Mas para ler mais nem sempre é preciso gastar muito dinheiro!\r\n

O elogio da biblioteca pública

\r\n\r\nAs bibliotecas são um excelente sítio para procurar desde literatura a livros técnicos mas normalmente os horários estão pensados para a comunidade escolar e académica. Adoro bibliotecas mas não é fácil encontrá-las fora do horário laboral e nem sempre existem em todos os pontos do país em que são necessárias. Uma boa biblioteca nas regiões interiores faz muita falta, tornando-se muito mais importante para a sua população do que nos grandes centros urbanos.\r\n\r\nNas minhas deambulações pela Web encontrei o site da Porbase, que pode ser útil para pesquisar a obra que queremos antes de nos deslocarmos à biblioteca mais próxima.\r\n\r\n

A PORBASE– Base Nacional de Dados Bibliográficos é o catálogo colectivo em linha das bibliotecas portuguesas, constituindo a maior base de dados bibliográficos do país na qual colaboram a Biblioteca Nacional de Portugal (BNP) e mais de 170 bibliotecas portuguesas de variados tipos e dimensões, tanto públicas como privadas. Criada em 1986, a PORBASE é coordenada pela BNP e está disponível ao público desde Maio de 1988.

\r\n\r\nApesar de tudo apontar para um empobrecimento geral da população, podemos aproveitar as bibliotecas deste país para nos enriquecermos por dentro, seja na aprendizagem ao longo da vida, seja a percebermo-nos a nós próprios… ou mesmo aprender a gerir as finanças pessoais. Certamente não faltarão livros sobre estes temas e à nossa disposição, sem gastarmos um tostão.\r\n\r\n

Oportunidades na Internet e trocas de livros entre amigos

\r\n\r\nAlém disso, tenho encontrado na Net pessoas que aproveitam para se desfazer das suas coleções em troca de alguns euros, em sites de classificados e mesmo nas redes sociais. Existe sempre a opção de fazer troca ou empréstimos de livros entre amigos ou clubes de leitura. O importante é ler.\r\n\r\nComo não há mal que sempre dure nem bem que nunca acabe, acredito que aquilo que aprender me vai fazer bem já amanhã e fará ainda melhor quando a economia começar a recuperar (não vou agora entrar em discussões sobre quando isso irá acontecer).\r\n\r\nLer é também um exercício de convívio connosco, que requer uma calma a que muitas vezes fugimos ou dizemos que não temos tempo para lhe dedicar. Leva-me a pensar a forma como gerimos o tempo, o dinheiro e como organizamos a nossa vida. Há tantos tipos de leituras que vão ao encontro dos gostos mais variados. Na vida, quase tudo é uma questão de escolha. Até mesmo comprar livros em tempos de crise.\r\n\r\n\r\n\r\n