Mudança para Portimão: quem muda, Deus ajuda!

Portimão

Em Junho mudei-me para Portimão, sendo o culminar de um longo processo pessoal e profissional de auto-conhecimento. Os próximos meses serão de adaptação.

Quando iniciei a aventura do empreendedorismo há quase seis anos não sabia onde este caminho me levaria, mas aceitei o desafio. Passei por situações pessoais delicadas que me fizeram questionar toda a minha «formatação» inicial de mulher portuguesa nascida e criada num meio pequeno. Coloquei em causa todas as expectativas dos outros. Tomei as rédeas da minha vida, quando o mais fácil seria continuar. Agora sinto que chegou a hora de fazer algo por mim, de me valorizar.

Hoje olho para trás e vejo, com humildade e seriedade, ainda tenho muito para fazer e para aprender. Tenho consciência do quanto trabalhei para chegar aqui e das contas que tenho para pagar. Da responsabilidade e do amor que sinto enquanto mãe. Da educação, do exemplo e do legado que quero deixar à minha filha.

No último ano tenho vindo a trabalhar o mindset. Até à data sempre me desviei do meu caminho para agradar aos outros. Típico. Agora observo mais o comportamento das pessoas. Se é difícil acompanhar um homem empreendedor, ora imaginem uma mulher empreendedora!

Quero provar a mim própria que não é preciso estar em Lisboa para fazer acontecer. Eu posso ir a Lisboa sempre que for preciso, mas quero ter qualidade de vida no dia-a-dia. As pessoas criativas precisam de combustível, de inspiração, e o stress anula o lado criativo das pessoas.

Deixar Lisboa e mudar-me para o Algarve foi uma decisão muito ponderada e reforçada mais recentemente. Quando estava em Cantanhede queria ir para Lisboa. Fui estagiar aos vinte e poucos no Canal Notícias de Lisboa e depois trabalhei um ano na TSF Online. Acabei por viver, trabalhar e estudar em Lisboa mais de uma década, repleta de experiências e ensinamentos. Comprei casa, porque cheguei a acreditar que ia ficar por lá.

Quando pensei em criar uma família, apercebi-me que não tinha qualquer apoio na capital e o ritmo de vida era stressante para pais e filhos: longas horas na creche/jardim de infância/escola, longas horas nas filas de trânsito, pouca paciência… E na altura, a vida que levava em Lisboa estava a fazer-me mal à saúde. Aquele stress e ansiedade começaram a traduzir-se em sintomas físicos.

«Vou mas é para o Algarve, que lá está mais quentinho».🌞 E assim fiz. Despedi-me da empresa onde estava e criei a Inboundware em Setembro de 2013 e tive uma filha em Setembro de 2014.

Porquê Portimão?

Portimão é uma cidade onde consegues ter uma qualidade de vida muito boa ao longo de todo o ano. Quando cheguei à Startup Portimão como empreendedora, em Janeiro de 2018, fui-me apercebendo que toda a gente já se conhecia e eu era a forasteira. Tipo «new kid in town». Essa sensação não me era estranha, uma vez que mudei várias vezes de casa. Ainda estou a aprender os lugares menos turísticos, menos massificados, o lado mais genuíno do Algarve. Tenho vindo a conhecer pessoas com gostos mais parecidos com os meus.

Aos 42 anos estou num ponto em que me sinto no auge do conhecimento, da experiência e da energia. Basicamente, quero curtir a vida e fazer coisas de que me orgulhe. Portimão posiciona-se bem nestes propósitos.

A vida é muito fugaz. A minha mãe faleceu aos 47 anos, quando eu tinha 27 anos, e ela era a minha bússola. Dou por mim a repetir expressões dela e a recordar as nossas conversas. Ela foi a minha primeira mentora, o meu primeiro e grande exemplo de liderança feminina. Uma frase que a minha mãe repetia muito era: eu só quero paz e sossego. A agora sou capaz de perceber melhor algumas coisas que ela dizia. Estou a aproveitar as pequenas maravilhas da vida e a dar atenção à minha filha nesta fase da infância, numa ginástica entre dar todo o mimo possível, impor limites e dar uma boa educação. Tudo o resto é lucro.

  • Estou a contribuir, à minha maneira, para termos um Algarve ativo o ano inteiro com a Startup Portimão
  • Estou a cuidar do meu mindset para evoluir e melhorar os meus resultados da Inboundware, para sair do meu perfil de técnica e passar a ser, cada vez mais, gestora e comercial (algo que não vem com naturalidade).
  • Estou a querer produzir mais conteúdo próprio, depois de um período muito longo de falta de motivação.
  • Estou a cuidar mais de mim, com mais atenção à alimentação e atividade física.

Ao nível da Inboundware (que está a fazer 6 anos 😁), quero construir uma equipa de trabalho aqui em Portimão, onde possamos todos deixar fluir a criatividade e trabalhar para o mundo. Tenho uma visão para a empresa para quando ela fizer 10 anos, agora preciso de foco e persistência para a tornar realidade. Estar na Startup Portimão proporcionou-me a estrutura de que precisava para colocar em prática as minhas ideias num espaço muito agradável e com pessoas dentro da mesma onda de pensamento.

Vídeo da autoria de Raquel Martins. Ainda vamos ouvir falar dela no futuro…

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado.